Rádio Ideias - Programa Frequência de Classe nº 40

Fique em dia com o nosso Município

Fique em dia com o nosso Município
Quite seus débitos com a prefeitura

terça-feira, 11 de março de 2014

Sistema Ferroviário - A grande viagem de Ometto

O usineiro que transformou o Grupo Cosan num dos maiores conglomerados empresariais do País, com interesses em energia e logística, dá um bote de R$ 11 bilhões sobre a ALL. Conheça a sua história

Por Carlos Eduardo VALIM e Ana Paula MACHADO
O maquinista: Rubens Ometto transformou 
seus canaviais em um colosso dos setores 
de energia e logística
Às 20 horas do domingo, 23 de fevereiro, quando o principal acontecimento no interior de São Paulo parecia ser a vitória por 3 a 1 do Botafogo de Ribeirão Preto sobre o até então invicto Palmeiras, no Paulistão, um filho da região protagonizava um dos eventos mais importantes do mundo dos negócios brasileiro no período recente. O personagem atende pelo nome de Rubens Ometto Silveira Mello, nascido em Piracicaba e que se tornou o maior usineiro de açúcar e álcool do mundo, com a tática, muitas vezes controvertida, de comprar concorrentes endividados, incluindo uma dezena de companhias baseadas na chamada Califórnia brasileira. 
Naquele exato momento, Ometto, como é mais conhecido, acertou os termos da proposta de fusão de seu grupo Cosan com a América Latina Logística (ALL), a maior concessionária brasileira de transportes ferroviários, dona de uma malha de 13 mil quilômetros. Trata-se de uma transação que criará uma gigante, cujo nome ainda não foi definido, avaliada em R$ 11 bilhões, combinando as atividades da ALL com as da Rumo, o braço logístico da Cosan, que controla oito terminais de carga e descarga no Estado de São Paulo e um terminal marítimo no Porto de Santos. Para fechar a operação, Ometto não precisará desembolsar um só centavo.
O acordo de troca de ações foi acertado pessoalmente entre o empresário e Marcos Lutz, presidente da Cosan, com o consultor Pércio de Souza, especialista em negociações e fundador da butique de investimentos Estáter, que representa desde novembro os principais acionistas da pulverizada ALL. Entre os sócios representados por Souza, estão os investidores individuais Wilson Delara, o casal Ricardo e Júlia Arduini, o BNDESPar e os fundos de pensão Previ e Funcef. O acerto prevê que os acionistas da Rumo fiquem com 36,5% da nova empresa, e caberiam 63,5% para os da ALL. Mesmo assim, a Cosan seria a principal detentora individual de ações, com 27,4% de participação.
Como sempre tem acontecido em sua trajetória, Ometto conseguiu maximizar o seu cacife. Com pouco mais de um terço do capital, ele e seus sócios na Rumo, a Gávea Investimentos, do ex-presidente do Banco Central, Armínio Fraga, e o fundo americano TPG, indicarão nove dos 17 integrantes do conselho de administração. Mas, para que isso aconteça, o acordo anunciado precisará ser aprovado pelo conselho da ALL, em até de 40 dias. Além disso, a Rumo deverá abrir o seu capital. “Temos segurança de que essa aprovação vai acontecer”, disse Lutz, durante conferência com analistas na segunda feira 24 . “É um projeto que faz sentido para o País, o de ter uma empresa com horizonte de investimentos.” Leia mais

Nota JN: Isso tudo será uma guinada no sistema ferroviário brasileiro, o que não era sem tempo, afinal poderá nos envolver de uma forma direta. Essa é a conclusão que tiramos da matéria. Para quem não sabe a ALL é a concessionária do sistema ferroviário que abrange boa parte do Brasil, inclusive no transporte de grãos no Centro-Oeste. O significado de toda essa reviravolta, caso o conselho da ALL seja favorável a essa fusão, é de que nossa região, Mineiros, Jataí, Rio Verde todo Sudoeste Goiano poderemos ser extremamente beneficiados pelos investimentos de bilhões de reais. Será o sonho da nossa ferrovia, que existe desde a década de 1970, tendo boas chances de ser realizado de forma mais rápida.
Só um detalhe a ser acrescentado neste contexto, alem de transportar grãos precisamos que também transporte gente, pessoas. Na região em São Paulo compreendida Alta Araraquarense que começava em Santa Fé do Sul indo a capital São Paulo a reclamação da população é unânime depois que a ALL tomou posse da linha desativando o transporte de passageiros, pessoas. Esperamos que agora, com essa fusão, isso seja levado em conta, afinal o Brasil é um país continental e precisa de mais opções de transporte para as pessoas. Por Gideone Rosa.
Postar um comentário

Parabéns Jataí


Palestras

Palestras
Invista em seu maior patrimônio, Pessoas.