Jataí mais segura

Jataí mais segura

Rádio Ideias - Programa Frequência de Classe nº 37

Fique em dia com o nosso Município

Fique em dia com o nosso Município
Quite seus débitos com a prefeitura

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Garoto em zoológico perde o braço

Moça que fez gravação diz que menino não saía da área apesar dos avisos
Do G1
Menino de 11 anos entrou numa área proibida, foi atacado pelo tigre e teve o braço dilacerado no zoológico de Cascavel.
A Polícia do Paraná abriu um inquérito para investigar se houve negligência no zoológico da cidade de Cascavel. Na quarta-feira (30), um menino de 11 anos entrou numa área proibida e foi atacado pelo tigre e teve o braço dilacerado.
As imagens feitas por visitantes do zoológico de Cascavel mostram o menino pouco antes do ataque. Ele se pendura na grade, corre de um lado para o outro e chega a pôr a mão dentro da jaula para tocar o tigre. O menino de 11 anos teve o braço dilacerado e foi levado para o hospital em estado grave.
“Aquele fato do menino ficar correndo em frente a jaula, para o animal aquilo era uma caça, uma presa para ele”, explica o médico veterinário Valmor Passos.
O garoto estava no zoológico com o pai e com o irmão menor, de três anos.
É por uma trilha, mostrada no vídeo, que os visitantes fazem o passeio. O caminho é isolado por uma cerca de pouco mais de um metro de altura. Do lado de dentro várias placas orientam que as pessoas não ultrapassem porque é perigoso. Da cerca até a jaula há um metro e meio de distância. O menino estava ali dentro.
Agora a administração estuda aumentar a altura da grade. O tigre de três anos foi criado em cativeiro, chegou ao zoológico de Cascavel com oito meses e era considerado pelos veterinários um animal dócil.
Na quarta-feira (30), depois do ataque, o tigre foi levado para uma área de isolamento. Nove guardas cuidam do zoológico. Um deles é responsável por três áreas, entre elas a dos felinos.
Jornal Nacional: O guarda viu o menino entrando na área proibida?
“Não, ele não viu. Ele fazia a ronda neste recinto, como ele faz em outros próximos dos felinos e neste momento ele não viu”, afirma Lauri Dalagnoll, chefe da guarda.
Em outra imagem, feita antes do ataque, o menino aparece na área proibida da jaula ao lado, a do leão, cara a cara com o animal. Ao fundo se ouve alguém dando o alerta: "Cuidado, menino!"
A moça que fez a gravação conta que apesar dos avisos dados por várias pessoas o garoto não saía da área restrita.
“Quando a gente chegou ele estava no leão. Ele passou para a jaguatirica, aí ele chegou no tigre. Eu fiquei ali uns dois, três minutos. Foi o tempo que ele ficou ali em volta", disse.
Nesta quinta, a polícia abriu um inquérito. O pai prestou depoimento. Disse que estava cuidando do outro filho de três anos e não percebeu quando o mais velho se aproximou da jaula do tigre.
“Como ele foi omisso, ele pode responder aí pelo crime de lesão corporal de natureza grave, porém nós temos que apurar também a responsabilidade das pessoas que também devem guardar ali pelo local para que evitem o acesso de crianças naquela área”, diz o delegado Denis Zortea Merino.
O menino, passou por cirurgia e teve o braço direito amputado na altura do ombro. Ele está num quarto, em companhia dos pais.
Postar um comentário

Parabéns Jataí


Palestras

Palestras
Invista em seu maior patrimônio, Pessoas.