Radio Line e Rádio Ideias apresentam, Frequência de Classe 54

Concurso Público Municipal

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Sabatina. Ser ou não ser deputado

Por Gidone Rosa
Nesta quarta-feira, numa iniciativa extremamente louvável por parte da AJE, aconteceu no recinto da ACIJ - Associação Comercial e Industrial de Jataí um evento não menos importante para o futuro político não só de nosso município, mas a nível de estado e de Brasil. Foi notório duas situações, a ausência da sociedade organizada e o total despreparo dos candidatos.
Foi lamentável ouvir como resposta ao que não foi perguntado, foi lamentável ver e ouvir candidatos se escondendo por trás de palavras, foi decepcionante candidato responder fazendo campanha para quem não estava sendo sabatinado, foi uma lástima ver e ouvir candidato que não parecia ser deste mundo, fora da realidade. Mas foi muito mais cruel ver e ouvir candidato que não sabe a diferença entre legislar e assistencialismo. Essa doeu nos ossos e fritou meus neurônios.
Duas perguntas não saem de minha cabeça, foram elas sobre a falta de infra-estrutura, quando citou as estradas vicinais, e se os candidatos, se eleitos continuariam a fazer a prática do assistencialismo ou fiscalizar e legislar a favor do povo.
Na primeira pergunta um dos candidatos fez campanha para um candidato a governador e na pergunta seguinte esse mesmo candidato respondeu, assim como quase todos os demais, com exceção de um, o que não foi perguntado. Neste caso, com exceção de apenas um dos sabatinados, responderam que iriam sim continuar a fazer o assistencialismo pois a "população precisa do apoio desses "legisladores".
Caríssimos leitores, isso é a clara demonstração do despreparo de uma pessoa que quer nos representar. Ou quem sabe, se fingiram de mortos defendendo seus interesses eleitoreiros respondendo o que a maioria da população quer ouvir, ou que realmente nada sabem sobre a real diferença entre legislar e praticar assistencialismo (compra da consciência de eleitores) o que nesse caso sugiro a compra de um bom dicionário.
Outro fato lamentável, alem do comediante evento por parte dos sabatinados) foi a ausência da sociedade organizada, o povo, nessa sabatina. Isso é realmente lamentável já que o maior interessado nem perto passou. ...Melhor dizendo talvez seja "o maior desinteressado". Assim como é desinteressado nas sessões da Câmara Municipal e das famigeradas audiências públicas.
Mas em todo caso, se serve de consolo vai um conselho, não se lamente depois. Não reclame!
Postar um comentário