Fique em dia com o nosso Município

Fique em dia com o nosso Município
Quite seus débitos com a prefeitura

Rádio Ideias - Programa Frequência de Classe nº 26

Parabéns Jataí


quarta-feira, 17 de junho de 2015

Vizinhança barulhenta

Por Gideone Rosa
O JN recebe toda semana alguma ou outra reclamação de perturbação do sossego onde cada um faz que bem entende dentro de seus limites achando que está em seu direito e que não deve nenhum respeito à tranquilidade de quem está por perto, principalmente os vizinhos.

Dias atrás apresentamos aqui que perturbação do sossego é uma contravenção penal e que pode dar até 3 meses de reclusão. Infelizmente não podemos contar com a polícia nesse sentido.
Eu tive uma experiência dessas de perturbação e a polícia disse que não poderia fazer nada, não sei se por falta de conhecimento, mas nas três denúncias que fizemos disseram que som alto não é crime e que se eu quisesse fazer uma queixa que deveríamos, juntamente com o autor da contravenção penal, irmos todos à delegacia e fazer o chamado BO. A meu ver isso é uma temeridade. Como sair junto com um vizinho que não conheço em uma viatura de polícia para fazer uma queixa crime?

O fato é que muitos de nós sofremos com essa falta de educação daquele que acha que está no seu direito de adentrar noite afora e até o dia todo transformando a vida de quem trabalha em um inferno sonoro.

É comprovado por cientistas que se vc não tiver tranquilidade no seu dia-a-dia e uma boa noite de sono os prejuízos são enormes em sua produtividade, sem falar é claro, que o afetado pode ter transtornos até psicóticos que pode levar a uma série de outros problemas principalmente de relacionamento.
Com base nesses transtornos houve um caso em Goiânia, capital, que um vizinho assassinou o outro por causa das algazarras e do som alto. Claro que nenhum de nós queremos que isso aconteça. Mas nem todos somos iguais ou benevolentes.

Aqui em nossa cidade há inúmeros casos de perturbação do sossego  e devido a falta de assistência das autoridades estamos a mercê desse tipo de gente que não respeita o direito a esse sossego. Uma dessas situações está bem no centro da cidade, nas imediações da Câmara Municipal, onde o "frejo" começa durante o dia e vai até a madrugada. Muitas vezes, nesses casos, há drogas envolvidas o que deixa a vizinhança apavorada.

O que se pede é uma atenção especial das autoridades, principalmente da polícia, para que aquele que trabalha, é responsável, tem crianças e idosos em casa tenha esse direito, até mesmo por uma questão de produtividade em sua vida diária possa ter o merecido sossego. A polícia não precisa chegar com truculência, basta que discipline o(s) autores do delito. Todos temos direito às nossas alegrias mas que seja com respeito para com terceiros, sem perturbações.
Postar um comentário

Palestras

Palestras
Invista em seu maior patrimônio, Pessoas.