Rádio Ideias - Programa Frequência de Classe nº 24

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Anel viário de Jataí uma dor de cabeça e sem prazo para terminar

Apresentando problemas estruturais na ponte a obra corre o risco de mais tempo parada

Por Gideone Rosa
O anel viário de Jataí que começou suas obras em abril de 2011 ficou parada por dois anos devido às questões ambientais e indenizatórias aos proprietários de imóveis na região, sanado esses problemas foi retomada em 2013.

O projeto do anel é de interligação das três rodovias federais que cortam o nosso município, são elas a BR 364 que deve ligar na BR 158 e que esta por sua vez ligar a BR 060 todas com pista dupla. O intuito da obra é tirar o trânsito pesado, principalmente de caminhões, que passam no perímetro urbano da cidade o que vem causando sérios transtornos inclusive no pavimento da cidade e também agilizar a trafegabilidade para quem queira pegar uma das rodovias sem ter que atravessar pela cidade.

Devido a crise financeira em que passa o governo federal a obra está parada, já que agora o projeto faz parte do PAC, projeto esse, que no seu início tinha um valor estimado em 108 milhões de reais e a partir do momento que foi inserido no Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC, esse valor foi acrescido com 40 milhões e somados saltam para 148 milhões de reais. 

Problemas passados já superados, porém...
...Agora vem uma notícia bomba, a obra apresenta problemas estruturais graves na ponte sobre o Rio Claro, que deverá fazer a ligação das BRs 158 e 364. Com pilares em torno dos 40 metros de altura e uma extensão de mais de 300 metros dois desses pilares da ponte cederam sentido rio cerca de 14 centímetros.

De acordo com informações que chegaram até a nossa redação com isso foi gerado um impasse, a Construtora Delta, responsável pela execução do projeto quer entregar a obra alegando que não tem mais condições de conduzir os trabalhos devido a falta de orçamento, dinheiro, por outro lado o DNIT não quer receber pois não aceita com o problema estrutural apresentado e exige uma reparação por parte da Delta.

Segundo o que nos chegou os dois pilares cederam devido o acúmulo de toneladas de material na base da ponte, na sua maior parte esse material foram pedras para que se construísse um aterro que passa do s 30 metros de altura, tamanho peso forçaram os dois pilares cederem os 14 centímetros.

Existem duas linhas de pensamentos para corrigir o problema, uma delas seria a remoção de milhões de toneladas desse material base de aterro, só depois tentar tracionar os dois pilares para a posição de origem, e na outra opção explodir os dois pilares e construir novamente. 

O fato
A obra não pode ser entregue dessa maneira. Caso insistam a continuarem e derem por terminada essa ponte, com o intenso tráfego esses 14 centímetros poderão se tornarem extremamente graves o que poderá comprometer toda a estrutura.
Postar um comentário

Palestras

Palestras
Invista em seu maior patrimônio, Pessoas.