Frequência de Classe - Um programa da Radio Line e Rádio Ideias

Frequência de Classe - Um programa da Radio Line e Rádio Ideias

Refiz 2017

Refiz 2017

Fique em dia com o nosso Município

Fique em dia com o nosso Município
Quite seus débitos com a prefeitura

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Mortes por H1N1 sobem para sete em Rio Verde

Dois homens, que não estavam nos grupos de risco, não resistiram à doença.
Cidade teve 54 notificações

O número de mortes em decorrência do vírus H1N1 subiu para sete em Rio Verde, no sudoeste de Goiás. De acordo com boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, até a última sexta-feira (13), 54 casos foram notificados na cidade. Destes, 20 casos tiveram diagnóstico positivo para a doença e outros dois continuam aguardando resultados de exames.

A morte mais recente foi a de um homem de 41 anos, que ficou 11 dias internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Municipal Universitário. Segundo a secretaria, ele não se encaixava nos grupos de risco e os exames realizados também não apontaram nenhuma doença crônica.

H1N1
Outro homem, de 40 anos, que não tinha nenhum problema de saúde, morreu no início deste mês a cidade. A infecção por H1N1 foi confirmada na semana passada.
De acordo com a Vigilância Epidemiológica, a cidade enfrenta um surto da doença. Apesar disso, a procura pela vacina diminuiu nos postos de saúde. Ainda há preocupação com as grávidas, pois apenas 45% foram imunizadas.

“É um fator de risco e pedimos para que elas procurem se proteger. Muitas mulheres tomaram a vacina em 2015 e acham que agora estão achando que não precisam tomar a vacina”, disse a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Patrice Cristine Guimarães. 

Situação no estado
O último boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), com dados até o último dia 3, aponta que 18 pessoas morreram em função da doença no estado. Destes óbitos, sete foram registrados em Goiânia e os demais em outras oito cidades de Goiás.

Depois da capital, Rio Verde aparece no boletim ainda com três mortes. A terceira cidade com mais mortes, duas confirmadas, é Anápolis. As demais, Ouvidor, Planaltina de Goiás, Ipameri, Caldas Novas, Catalão e Paraúna registraram um óbito por H1N1 cada.

O órgão também confirmou 108 casos da doença no estado. Do total, 46 foram registrados na capital e os demais em mais de 20 cidades do estado. Até o último boletim, no último dia 26 de abril, havia 72 casos confirmados e 13 mortes pela doença em Goiás.

De acordo com a assessoria de imprensa da SES-GO, um boletim atualizado com os dados de todo o estado será divulgado ainda nesta semana.
Já em Goiânia, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) destacou que, até o último dia 11, foram sete mortes causadas por H1N1. Um novo boletim está previsto para ser divulgado nesta terça-feira (17).

A assessoria de imprensa da SMS ressaltou, ainda, que a meta de vacinação dos grupos de risco já foi atingida na capital. Ou seja, 332 mil pessoas foram imunizadas. Os detalhes sobre a campanha de vacinação serão informados nesta terça. (Fonte: G1)
Postar um comentário

Palestras

Palestras
Invista em seu maior patrimônio, Pessoas.