Frequência de Classe - Um programa da Radio Line e Rádio Ideias

Frequência de Classe - Um programa da Radio Line e Rádio Ideias

Refiz 2017

Refiz 2017

Fique em dia com o nosso Município

Fique em dia com o nosso Município
Quite seus débitos com a prefeitura

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Câmara abre processos contra Jean Wyllys, Wladimir Costa e Laerte Bessa

Na sessão desta quarta, foram sorteados os nomes de possíveis relatores dos processos; 
Representação contra Bolsonaro também ganhará novo relator

Por Amanda Damasceno
Nesta quarta-feira (10/8), o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara instaurou processos disciplinares contra os deputados Jean Wyllys (PSOL-RJ), Wladimir Costa (SD-PA) e Laerte Bessa (PR-DF). O presidente do conselho, deputado José Carlos Araújo (PR-BA) sorteou os nomes dos deputados que poderão ser relatores de cada uma das representações. É de Araújo a responsabilidade de designar um dos nomes para a relatoria.

A representação contra o deputado Jean Wyllis foi apresentada pelo PSC. O partido considera incompatível com o decoro parlamentar o texto que o deputado divulgou no dia 12 de junho em sua página do Facebook. Foram sorteados, como possíveis relatores do processo, os deputados Capitão Augusto (PR-SP), Silas Câmara (PRB-AM) e Júlio Delgado (PSB-MG).

No texto divulgado em seu perfil, o parlamentar do PSOL associou os nomes dos deputados Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e Marco Feliciano (PSC-SP) ao atentado em uma boate gay em Orlando (EUA), que deixou 50 mortos.

Para analisar a representação contra o deputado Wladimir Costa (SD-PA), protocolada pelo PT, foram sorteados os deputados Subtenente Gonzaga (PDT-MG), Betinho Gomes (PSDB-PE) e Nelson Marchezan (PSDB-RS).

No documento, o PT argumentou que Costa quebrou o decoro parlamentar ao ofender a legenda e seus filiados durante reunião de votação do processo contra o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no Conselho de Ética. Na representação, o partido cita declarações de Costa, entre elas que “o PT é um partido indecente. É um partido da vergonha. Acredito que 99,99% dos petistas são bandidos da pior periculosidade”.

Já para a representação contra o deputado Laerte Bessa (PR-DF), foram sorteados os deputados Sérgio Moraes (PTB-RS), Professor Victório Galli (PSC-MT) e Mauro Lopes (PMDB-MG). Um dos três sorteados será escolhido pelo presidente do colegiado para a relatoria.

Também protocolada pelo PT, a representação afirma que Bessa feriu o decoro com ofensas ao partido e à presidenta eleita Dilma Rousseff (PT), ao ex-presidente Lula (PT) e filiados da legenda quando, em discursou na Câmara, chamou a todos de “ladrões”.

Ainda na reunião desta quarta-feira, o presidente do conselho sorteou três novos deputados para escolher um deles para a relatoria da representação contra o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ). Isso porque o relator que já havia sido designado para o caso, o deputado Wellington Roberto (PR-PB), declinou da função. Foram sorteados os deputados Silas Câmara (PRB-AM), Odorico Monteiro (PROS-CE) e João Carlos Bacelar (PR-BA).

Bolsonaro é acusado pelo PV de fazer apologia à tortura ao declarar, na sessão de votação do processo de impeachment de Dilma na Câmara, que dava seu voto “pela memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra”.

Ustra comandou o DOI-Codi  (Destacamento de Operações Internas) de São Paulo entre 1970 e 1974, durante a ditadura militar. O coronel, que morreu em outubro do ano passado, é acusado do desaparecimento e morte de pelo menos 60 pessoas. Durante sua gestão, cerca de 500 pessoas também teriam sido torturadas nas instalações. (Com informações da Agência Brasil)
Postar um comentário

Palestras

Palestras
Invista em seu maior patrimônio, Pessoas.