Rádio Ideias - Programa Frequência de Classe nº 19

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Botecos e similares, "vamos à farra ou não vamos à farra?

Comércio aberto ou fechado após a meia noite? Eis a questão.

Por Gideone Rosa
Já a algum tempo que essa novela do fecha não fecha, o que para muitos donos de estabelecimentos tanto faz já que eles ficam mesmo abertos após o horário que determina a lei incomodando tudo e a todos, vem à tona novamente essa história de fechar ou não fechar esses estabelecimentos após a meia noite.

Essa semana ouvimos em um programa de rádio jornalismo Paulo Duarte, proprietário de um restaurante, a defender veementemente a mudança da lei que determina que esses estabelecimentos fechem, segundo ele Jataí não tem vida noturna e que revogando essa lei estimulará o consumo. Acredito que ele quis dizer "estimulará o consumo de álcool".

Eu já disse e vou repetir, a questão não é a abertura de bares, lanchonetes e similares apósa meia noite, o que determina a lei, a coisa toda é mais que um simples problema, é o comportamento das pessoas, tanto do comerciante que permite a farra no seu boteco, do comportamento do consumidor que não tem o menor respeito para com as pessoas de bem, é a polícia desparelhada e sem efetivo e a  inércia do poder público que não fiscaliza coisa alguma. O fato é que as pessoas de bem, que nesse horário de verão madrugam para irem para o trabalho todos os dias, se tornam refém da baderna noturna. A pergunta que não  quer calar: Quem paga esse prejuízo?

Na capital, Goiânia, a coisa desandou, lá a lei de fechamento destes estabelecimento é cumprida custe o que custar. Custa tanto que a polícia está usando de artifícios nada convencionais, ou seja, é imperativo que feche o comércio se o dono não quiser ver seu patrimônio depredado. Dessa forma infelizmente é um absurdo, não se pode sair por aí a quebrar tudo e causar medo às pessoas. A polícia é sim uma autoridade, porém é também um elemento educador.

Na vizinha cidade, lá da capital, Aparecida de Goiânia depois que foi aprovada a lei que determina que estabelecimentos como os acima citados fechem depois da meia noite teve uma queda de 30 por cento na criminalidade segundo dados estatísticos. Paulo Duarte contesta essa estatística e vai alem, disse na entrevista que pelo contrário, que a criminalidade pode sim baixar com os bares abertos pois a cidade terá mais gente circulando pelas ruas o que vai inibir a ação dos bandidos. 

O fato é que novamente essa novela está  em discussão nas ruas da cidade, no Legislativo Municipal e também será mais um problema a ser amplamente debatido pelo novo prefeito e sua cúpula assim que assumir a prefeitura em Janeiro de 2017.  Até porque Paulo Duarte é aliado do prefeito eleito Vinícius Luz. Diante disso tudo também é fato que a comunidade jataiense como um todo tem que ser ouvida, chamada para essa discussão, pois é inaceitável que a maioria seja penalizada, em detrimento de uma minoria. 

Só um lembrete para  quem não tem conhecimento, comprometer o sossego público é crime de contravenção. Que fique bem claro.
Postar um comentário

Palestras

Palestras
Invista em seu maior patrimônio, Pessoas.